História Baixo Elétrico Fender

O baixo elétrico e o amplificador de baixo não eram disponíveis às massas antes de Clarence “Leo” Fender e sua pequena companhia na Califórnia conceber e produzir o Precision Bass® e o Bassman® amplifier no início dos anos 50.

Baixo Elétrico Fender


Por todos os anos 30 e 40, o contra-baixo, que era o padrão em música popular na época, mal podia ser ouvido sob todo o estrondo e volume das bandas pop e das big bands da época. Em 1951 a Fender lançou um desafio contra tudo aquilo com a criação do Precision Bass®, um baixo elétrico com entoação “precisa” que quando amplificado, podia facilmente ser ouvido e sentido nos coretos e por todos os salões de bailes da época, alterando para sempre a cena da música popular e gravada.

Em 1960 a Fender criou um outro instrumento revolucionário, o Jazz Bass®. Com cintura ornada, dois captadores e um braço estreito, o Jazz Bass era sonoramente versátil, mais rápido de se tocar, e logo se tornou o padrão pelo qual todos os outros baixos eram medidos.


Os baixos da Fender se tornaram os baixos mais gravados do planeta e eles persistiram dominando os catálogos da música popular da atualidade porque a característica única de suas vozes ajudaram a definir e moldar os vários estilos e gêneros da música elétrica que todos amamos e ouvimos.

A Fender continua a inovar com o desenvolvimento de baixos e oferece uma seleção fenomenal de baixos de classe mundial e amplificadores de baixo para todos, desde o músico iniciante até aqueles que saem em turnês sazonais e gravações profissionais. Passando por James Jamerson, Geddy Lee, Jaco Pastorius e Marcus Miller, o baixo da Fender tem sido o veículo de escolha dos mestres e inovadores. Com seu baixo novo, a mesma oportunidade de se tornar um virtuoso está nas suas mãos.