Série Harmônica

Série Harmônica


Sons são produzidos por vibrações, qu podem ser emuladas por cordas, vozes, um trompete ou o deslocamento de uma coluna de ar. Dão origem ao que chamamos de freqüências, ou seja, uma série de timbres considerados puros. Quando você está ouvindo um som, na verdade está escutando a série harmônica, responsável por determinar a qualidade, o “ colorido”, ou seja, os timbres.
Uma corda de baixo gera vibrações que correspondem à série harmônica, em que é encontrado inúmeras freqüências ou harmônicos parciais. A primeira, também chamada de fundamental (F), é o som em que você ouve quando ataca o encordamento, associando-o com uma nota específica e sua afinação. Mas a série harmônica também está presente, determinado por meio de sua amplitude e das proporções de freqüências internas, qual o timbre do contrabaixo, tuba, flauta, trombone, etc. Por isto, quando tocamos a mesma nota em instrumentos variados, notamos diferenças de sonoridade.
Fisicamente, pode-se dizer que a serie harmônica é infinita e possui em sua composição ondas senoidais formadas pela freqüência fundamental e outras múltiplas em seu interior. Esta análise pode nos remeter a um estudo mais aprofundado deste fenômeno da Física, matemática e história, em que há teses milenares defendidas pelo filósofo e matemático Pitágoras.
Série Harmônica.jpg
Quando sofre vibração, uma corda apresenta em seu som e timbre todas estas freqüências (harmônicos parciais). No momento em que você tocar seu instrumento, perceba que as cordas não vibram apenas em sua extensão completa; na verdade, começam a se dividir e subdividir em seções cada vez menores. Estes fragmentos surgem visivelmente separados, compondo pequenos balões horizontais ou formas ondulares, que, por sua vez, passam a fracionar a corda em partes iguais: duas, três, quatro, até o infinito.
Uma maneira simples e talvez bizarra de ver estas divisões é ligar a televisão em um quarto escuro e visualizar a corda vibrando em frente à tele azulada. Você observar também algumas freqüências/divisões desta série no gráfico a seguir.

Conclui-se, então, que a corda vibra a fundamental em sua total extensão e, em suas freqüências internas, os harmônicos. Daí, é criada e seguinte convenção:

1 harmônico
Corda solta (fundamental)

2 harmônico
Divisão da corda:1/2

3 harmônico
Divisão da corda:1/3

4 harmônico
Divisão da corda: 1/4

5 harmônico
Divisão da corda: 1/5

6 harmônico
Divisão da corda: 1/6

7 harmônico
Divisão da corda: 1/7

8 harmônico
Divisão da corda:1/8

9 harmônico
Divisão da corda: 1/9

10 harmônico
Divisão da corda: 1/10

11 harmônico
Divisão da corda: 1/11