Do Agudo para o Grave com a Mão Direita

 Teoria Musical no Estudo do Contrabaixo


Neste workshop, vamos fazer um trabalho um pouco mais difícil: a movimentação da mão direita em sentido descendente ao braço do instrumento, ou seja, do agudo para o grave. Não é algo impossível de se fazer, mas você só vai conseguir caso estude bastante. Ao trabalho!
A primeira coisa que você deve observar na grade de estudo que está inserida em nossa coluna é a execução da mão direita. Note que esta estrutura é diferente das outras com as quais você estava acostumado. Neste modo, a mão direita fica no pentagrama superior (melodia) e a mão esquerda no inferior (acordes).
Para ficar mais fácil, vamos começar pela mão esquerda. Observe que foi utilizada a mesma concepção temática — a única diferença é que os licks deverão ser executados em intervalos diferentes. Um bom recurso é ver a exata localização da notas por meio da tablatura. Este posicionamento deve ser rigidamente obedecido, uma vez que o estudo de tapping requer principalmente um profundo estudo técnico da posição das notas a serem executadas e, o mais importante, qual mão vai realizar o trabalho.
Inicie os estudos executando os primeiros quatro compassos da primeira linha. Preste muita atenção na divisão, principalmente em razão das notas duplas (bicordes). Uma vez que este processo estiver consolidado, passe para a segunda linha. Trata-se do mesmo desenho, executado um tom abaixo. Uma coisa muito importante a se observar é que, quanto mais as mãos se aproximam da região grave da escala, mais força é preciso ter para executar as notas.
O motivo é a distância maior entre a ponte e as notas correspondentes à região que estiver sendo explorada. Agora, é a vez da mão direita. É fácil utilizá-la de forma isolada, sem os acordes. Mais uma vez, preste atenção no posicionamento das notas na escala do instrumento (veja a tablatura!). Esta medida é muito importante para atingir maior ergonomia e melhor timbragem.
O verdadeiro trabalho começa quando as mãos forem utilizadas simultaneamente. A princípio, tudo vai parecer difícil, com boa vontade e esforço, tenho certeza que iremos conseguir! A partir da terceira linha, as figuras mínimas vão compor a estrutura melódica.